10.1.08

Certo dia, enquanto dormia, comecei a sonhar que estava num show de reggae (e eu não gosto de reggae). O estranho foi que, quando acordei, a música não tinha parado. Deduzi que devia ser algum palhaço na janela e interfonei pro porteiro, que disse não ter ouvido nada, mas que ia dar uma olhada.
Só que o som estava alto demais, não tinha como ele não ter ouvido.
Lembrei que, algumas semanas antes, tinha lido num livro de neurologia o caso de uma mulher que teve um derrame na área da memória auditiva do cérebro, e passou a ouvir músicas o tempo todo, como se tivesse um rádio eternamente ligado perto dela. E que só tocava suas músicas favoritas.
Já estava amaldiçoando meu próprio cérebro por, ao invés das minhas músicas favoritas, ter ficado ligado numa estação de reggae quando a música parou e, pouco depois, o porteiro interfonou avisando que tinha sido um cara bêbado ouvindo som no carro, mas que ele já resolvera.
Os pensamentos mais bizarros surgem no meio da madrugada.

Um comentário:

johny cheesedog disse...

Oi gata! posso dar uma garimbada no seu chucrurte?